Aqui no nordeste nunca soubemos muito o que é inverno. A estação mais fria, nunca era suficientemente agradável para tiramos os casacos do armário e colocarmos meias para dormir. Mas este ano o negócio mudou de rumo.

Desde o final do mês de maio as chuvas começaram a cair. O período junino, que é tradicional aqui em Sergipe, sempre contava com alguns dias de chuva, mas esse ano, a exceção foi quando não choveu. A temperatura caiu e nós, adultos, sentimos bastante essa diferença. Para as crianças então, a coisa ficou complicada.

Além de não termos muitas opções do que fazer em dias de chuva, além de dois shoppings na cidade, reduzindo as opções de lazer nos finais de semana chuvosos, os resfriados pela mudança constante de temperatura, atacam nossos pequenos.

Antônio por exemplo, desde o mês de junho que está corizando e com tosse. Já levei ao médico várias vezes, mas a orientação é fazer lavagem nasal acompanhada de uma solução que previne a rinite alérgica, além de tomar alguns xaropes para diminuição da coriza e tosse.

Eu, particularmente, já estou ficando um pouco nervosa e preocupada com esses sintomas  que não cessam. Mas a pediatra dele pede para eu me acalmar. Ela é contra o uso de antibióticos, e já vi que só vai receitar se realmente a coisa começar a ficar feia. Por enquanto, segundo a avaliação dela, a secreção está na face e não comprometeu o pulmão. Mas mãe, sabe como é né?! A ansiedade e o medo de algo mais sério acontecer com nosso pequeno sempre nos deixa tensa.

Fora isso, estamos dando muito líquido, suco e água sempre, e reforçando a alimentação para não deixar a imunidade dele cair ainda mais. Apesar de às vezes a teimosia ser bem grande e ele não querer se alimentar, a gente se esforça em mais essa batalha.

E por aí? O que você tem feito quando seu filho fica com uma tosse persistente? Dá algum remédio caseiro? Porque já pensei nessa possibilidade.


Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado


Responsive image
Responsive image