boxeador sergipano

Sabe aquele velho ditado ?Filho de peixe, peixinho é’, encaixa como uma luva na vida do boxeador Cássio Santos Oliveira. Redundâncias a parte, o lutador começou a vida esportiva sonhando em brilhar nos gramados chegando a ser convidado para treinar em um dos grandes clubes brasileiros, mas, o talento e a ginga despontaram mesmo dentro do ringue, local onde cresceu assistindo seu pai Sidcley Oliveira suar a camisa.

Com os punhos de firmes e as mãos pesadas que encaixam golpes certeiros que balançam qualquer adversários, o boxeador, que é apoiado pelo programa Aracaju Bolsa Atleta, da Secretaria Municipal de Juventude e Esporte (Sejesp), poderá ser o primeiro sergipano a garantir vaga na disputa dos Jogos Olímpicos em 2020, no Japão. Para isto, já em 2015, entrará no ringue contra o paulista Joedson Texeira, na cidade de São Paulo. Caso vença, será o representante brasileiro que disputará pelas vagas nas Olimpíadas.

Vontade de vencer é o que sobra no lutador que neste ano ficou com a medalha de bronze no Torneio Cinturão de Ouro, realizado no Equador; Conquistou ouro no Campeonato Internacional de Boxe (IQUIQUE), no Chile; Levou o título do campeonato Brasileiro de Boxe e de quebra levou a taça de melhor atleta da competição. Carregado com todas estas conquistas na categoria até 63 quilos, o bolsista visitou o gabinete do secretário Carlos Eloy.

“Este é o meu primeiro ano de Bolsa Atleta e estou muito satisfeito com o apoio porque estou investido o dinheiro na minha carreira como a compra de materiais e o custeio de passagens para as competições”, relatou Cássio Oliveira que atualmente treina no Clube Escola, na cidade de Santo Amaro, em São Paulo, mesma academia que treinam os atletas olímpicos Esquiva Falcão e Yamaguchi Falcão, além do campeão mundial Everton Ribeiro.

Confiante que o investimento do Aracaju Bolsa Atleta possa levar um atleta sergipano para os Jogos Olímpicos, o secretário comenta o principal objetivo do programa. “Proporcionamos que os atletas se preocupem apenas em treinar e participar de campeonatos, já que o dinheiro é creditado na conta todos os meses fazendo com que os bolsistas façam seu calendário anual de competições”, relatou Carlos Eloy.

Treinamento

Para chegar a este nível, o atleta que tem apenas 17 anos, treina pesado durante cinco dias da semana por três horas. No período da manhã realiza cerca de uma hora de treinamento físico de fortalecimento da musculatura e trabalho aeróbico, pela tarde são duas horas de técnica com a realização de manobras, saco e escola de combate. Aos sábados é o dia de fazer um sparring durante 15 minutos.

Fonte: SECOM Aracaju


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image