capa2 baixa

diminuir-consumo-doces

Hoje falaremos sobre a compulsão por doces, um dos maiores motivos para fuga da dieta é não resistir as sobremesas, principalmente após o almoço. O problema não é o moderado consumo, mas quando comemos sem nos saciar, sem controle da quantidade ingerida, na maioria das vezes buscando controlar nossa ansiedade, agressividade e alterações de humor. São alimentos altamente palatáveis e de alta densidade energética, ricos em açúcar, chegam a causar dependência. Só que, diferentemente das drogas, os alimentos são necessários à vida. Comer é um comportamento que envolve vários processos hormonais. Por isso, fica tão difícil comprovar que a vontade excessiva de ingerir algo seja um vício.

O excesso de açúcar gera um processo inflamatório, o que acarreta obesidade, diabetes, hipertensão e síndrome metabólica. Esses problemas vão piorando caso o consumo de açúcar não seja reduzido. Além das doenças crônicas, outros males aparecem. Há um estímulo à produção de insulina, que é antagonista ao hormônio do crescimento (GH). Ele também aumenta a eliminação de cálcio e geralmente serve como combustível das células cancerígenas, o que as ajuda a se reproduzirem. O controle do açúcar na dieta deve ocorrer com maior cuidado em alguns casos como obesos, diabéticos e para quem tem síndrome metabólica. Resistentes à insulina e com nível de triglicérides alto devem controlar o consumo. Se você não se encaixa nesses grupos, a melhor medida é reduzir o açúcar de adição (aquele do cafezinho), que é absorvido com rapidez. Seu acréscimo aos alimentos é dispensável, porque para atingir 55% de carboidratos diários podemos utilizar outras fontes.

Um questionamento bastante freqüente é quando comer as guloseimas, e a quantidade sem deslizar na dieta. O melhor momento para consumir doces (sem exageros!) é após as grandes refeições (almoço e jantar) com proteínas magras, carboidratos integrais e saladas cruas. O índice glicêmico do doce será controlado pelas fibras da refeição. Quantidade diária ideal: 25 g (1 bombom). Prefira chocolates com mais de 70% de teor de cacau.

Comer sem controle pode trazer problemas para a saúde e bem estar do corpo, exagerar nos doces podem acarretar a obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares. Não é proibido comer bombom com os amigos. O ideal é consumir de forma adequada, em quantidades que satisfaçam o organismo sem prejudicar a dieta.

Saiba como escapar do círculo vicioso dos alimentos:

Light-Diet-Zero

? Aprenda a identificar os alimentos que causam compulsão no seu caso. Há os mais comuns (café, chocolate e gordura), mas outros podem ser acrescentados à lista como o sal e o refrigerante. E preste atenção no tanto que está ingerindo, tentando diminuir um pouquinho por dia.

? Observe a situação. Sempre que sentir um desejo demasiado por determinado alimento, preste atenção em como você está se sentindo: aborrecido, deprimido, ansioso. Nesses momentos é comum sentir vontade de alimentos que trazem recordações boas, como da infância.

? Busque uma solução para sua situação mental que não seja o alimento.

? Distraia-se. Quando sentir uma vontade louca por um alimento, tente fazer alguma atividade que mude o seu foco, por exemplo, algum esporte.

? Consuma cereais integrais: pães, arroz, macarrão, aveia, granola, chia, linhaça, etc. Nos mantém saciados por mais tempo, contribuindo para que a compulsão não apareça!

? Triptofano: Alimentos ricos em triptofano ajudam na sensação do bem-estar e diminuem a vontade por doces. Alguns desses alimentos: castanha do Pará, leite e derivados desnatados, banana, maçã, aveia e grãos em geral.

? Não fique longos períodos sem se alimentar: O jejum prolongado causa uma diminuição nas quantidades de glicose no sangue, aumentando os sinais da fome e desencadeando a vontade de comer doces.

? Coma frutas da época: as frutas contêm em sua composição a frutose, seu açúcar natural que pode enganar a vontade por doces calóricos, além de conter fibras que ajudam na saciedade. A safra de maio apresenta abacate, ameixa, banana, coco, goiaba, jaca, laranja, mamão, melancia, tangerina.

? Consuma os doces do bem: saladas de frutas, doces de frutas diet, frutas quentes com canela e aveia, gelatinas sem sabor e acrescente frutas, picolés de frutas ou de iogurte, e o queridinho smoothie (iogurte desnatado batido com frutas congeladas e mel).

? Evite a fome oculta: Garanta que está consumindo a quantidade certa das vitaminas e minerais importantes para a mediação dos neurotransmissores: complexo B (cereais integrais), vitamina C (frutas cítricas), triptofano e tirosina (banana, maça), magnésio (folhas verdes-escuros) e selênio (castanha do Brasil).

? Procure ajuda profissional: Quando a compulsão por doces se torna muito frequente, o ideal é procurar um psicólogo e nutricionista. Essa compulsão pode ter duas origens: deficiência de algum nutriente ou problemas psicológicos (como depressão ou ansiedade).

?Controle? é a palavra certa para se manter de bem com a balança!

Ciclo Nutri
www.ciclonutri.com

marca 2


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image