Longe dos palcos desde 2010, o grupo pernambucano também disponibilizou sua discografia online e vai fazer shows pelo Brasil e Europa

Cordel do Fogo Encantado está de volta aos palcos e estúdio
Divulgação/Tiago Calazans

O Cordel do Fogo Encantado voltou oficialmente. Longe dos palcos desde 2010, o grupo pernambucano comemora o reencontro com a gravação de um novo CD. Viagem ao Coração do Sol será lançado dia 6 de abril.

O vocalista Lirinha diz que o recente trabalho surgiu em uma reunião dos integrantes para organizar a discografia da banda para um projeto online.

— Fomos procurados pelas plataformas de streaming para lançar nossa obra e pra isso acontecer foi necessário juntar nossa história musical. Pensamos em não só lançar as músicas do passado mas também compor um novo trabalho.

Capa do novo CD da banda pernambucana
Divulgação

Além disso, um fato emocionante também trouxe o Cordel de volta à ativa.

— Naná Vasconcelos produziu nosso primeiro disco (2001), nos apresentou ao universo dos estúdios de gravação e circulou por dois anos com a banda. Ficamos muito amigos. E a notícia da sua passagem para outro mundo [o músico morreu em 2016], reforçou o desejo de voltar aos palcos, de fazer um show pra ele. Foi o início de todo esse projeto.

Ao lado do vocalista, ainda estão no grupo os integrantes originais Clayton Barros (violão e voz), Emerson Calado (percussão e voz), Nego Henrique (percussão e voz) e Rafa Almeida (percussão e voz). Para saber mais sobre esse grande reencontro, o R7conversou com o poeta Lirinha.

Estúdio

— Gravamos o disco entre maio e junho do ano passado [2017], em São Paulo, mantendo o sigilo pro público da notícia do nosso reencontro. Fernando Catatau (produtor e lider do Cidadão Instigado) já estava no processo, em Recife, desde fevereiro. As gravações foram emocionantes. Existe uma música que só é possível com essa formação do Cordel. Estavam todos lá, os integrantes originais. O fogo encantado reaceso.

Reencontro

— As primeiras conversas sobre o retorno surgiram com a reunião dos integrantes para organizar a discografia da banda. Fomos procurados pelas plataformas de streaming para lançar nossa obra e pra isso acontecer foi necessário juntar nossa história musical. Pensamos em não só lançar as músicas do passado mas também compor um novo trabalho.

A morte do padrinho

— Naná Vasconcelos produziu nosso primeiro disco, Cordel do Fogo Encantado [2001], nos apresentou ao universo dos estúdios de gravação e circulou por dois anos com a banda. Ficamos muito amigos. E a notícia da sua passagem para outro mundo, reforçou o desejo de voltar aos palcos, de fazer um show pra ele. Foi o início de todo esse projeto.

Turnê

— Este ano, circularemos por todo País e alguns lugares fora do Brasil, como Portugal. O nome da turnê é Viagem ao Coração do Sol, também título do novo disco. Vamos registrar tudo e pretendemos lançar um trabalho audio visual, sobre essa história.

20 anos de música 

— Como banda, começamos em 1999, mas como teatro foram dois anos antes. Tivemos muitas dificuldades no início de propagar nossa poesia e música por ser um grupo do interior. As poucas estruturas de apoio a arte estão concentradas nas capitais e mais ainda no sudeste do País. Mas seguimos em frente como se fôssemos guerreiros. Hoje, com o alcance da banda, também lutamos pela valorização de novos grupos e a democratização dos recursos de apoio a arte brasileira.

Fonte: R7, por Daniel Vaughan


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image