DIA MUNDIAL DO RIM

Nesta quinta-feira, 13 de Março, é comemorado o Dia Mundial do Rim e para lembrar esta data a Secretaria Municipal da Saúde promoverá panfletagem sobre prevenção de doenças renais no Centro de Especialidades Médicas de Aracaju ? Cemar, localizado no bairro Siqueira Campos. A ação será conduzida pela médica nefrologista Soraya Ramalho, que vai interagir com os usuários para estimular e divulgar hábitos saudáveis que podem reduzir riscos do surgimento de enfermidades mais comuns, como a doença renal crônica que é caracterizada pela perda progressiva e irreversível das funções renais.
Soraya Ramalho destaca que a informação correta e a prática constante de hábitos saudáveis são os principais aliados para manter a saúde. ?Os rins são órgãos muito importantes, sendo responsáveis por diversas funções no nosso corpo, como filtragem do sangue, controle de eletrólitos (sódio, potássio, cálcio, fósforo, magnésio?), controle da pressão arterial e da quantidade de água do corpo, estimulo à produção de glóbulos vermelhos e produção de vitamina D?, explica.

A médica afirma que este ano, o tema instituído pela Sociedade Brasileira de Nefrologia no Dia Mundial do Rim é ?1 em 10. O rim envelhece, assim como nós?. ?A ideia central é justamente chamar a atenção para a alta prevalência da Doença Renal Crônica, que pode chegar a 10% da população, especialmente entre os idosos, porque o risco de desenvolvimento da doença aumenta com o envelhecimento?, reforça.
Estima-se que cerca de 10% da população adulta têm algum grau de perda de função renal em virtude das doenças renais. Esse percentual pode aumentar para 30% a 50% em pessoas acima de 65 anos, deixando evidente que o risco para o aparecimento da Doença Renal Crônica aumenta substancialmente com o envelhecimento.

Segundo o IBGE, cerca de 10% da população brasileira tem mais de 65 anos de idade. Por esta razão, para este ano, o tema central da Campanha aborda o paralelismo entre o envelhecimento e a doença renal crônica. ?Tendo em vista tratar-se de uma campanha que o objetivo é a prevenção, é fundamental dar publicidade aos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença. Entre esses fatores, deve-se destacar a hipertensão arterial, o diabetes melitus, obesidade, tabagismo, presença de história familiar de doença renal e as uropatias obstrutivas, causadas por problemas uterinos (na mulher) e de próstata (no homem)?, acrescenta a especialista.

Prevenção
Ramalho também lembra que existem hábitos preventivos que podem ajudar a manter a saúde e preservar o bom funcionamento do rim. São estes, o controle do peso, atividade física regular, restrição de sódio, açúcar e gordura na alimentação, ingestão de cerca de 1,5 a 2 litros de água por dia, e de variadas porções de frutas e verduras, de preferência com orientação de nutricionista. Outro ponto importante é a necessidade de exame ginecológico (nas mulheres) e urológico (nos homens) anualmente, para prevenção de uropatias obstrutivas.
?No entanto, é preciso pontuar hábitos nocivos aos rins como: controle inadequado da hipertensão, do diabetes, do peso, do tabagismo e da presença de uropatia obstrutiva, o uso abusivo de medicações e como os anti-inflamatórios?, explica a médica Nefrologista que há 13 anos, atende no CEMAR Siqueira Campos e em outros estabelecimentos.

Cemar Siqueira Campos
No Cemar, são ofertados atendimentos com Nefrologista. Este médico especialista é quem avalia o funcionamento dos rins e a necessidade de tratar as consequências da doença renal, como a anemia, o desequilíbrio das taxas de potássio, cálcio e fósforo no sangue; reforça a necessidade de controle das doenças de base do paciente, faz triagem na família quando a doença é hereditária, como os rins policísticos. Os atendimentos no Cemar são agendados previamente na Unidade de Saúde do bairro, ou, no município de origem do paciente.

Por Milton Júnior (Aracajufest)


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image