dicas verao

A Defesa Civil Estadual dá algumas orientações para prevenir o agravamento de problemas causados por fortes chuvas e para quem quer se divertir em balneários. O chefe da divisão da Coordenadoria da Defesa Civil do Paraná, tenente-coronel Edemilson Barros, pede que a população siga as instruções e obedeça os avisos da Defesa Civil.

?Essas orientações podem salvar vidas, é importante segui-las corretamente?, disse Barros. Em casos de emergência, a população deve acionar a Defesa Civil (199) e o Corpo de Bombeiros (193).

Segue algumas orientações:

ALAGAMENTOS

Em caso de enchentes e alagamentos, é preciso perceber os sinais de quando é necessário procurar abrigo mais seguro. ?Percebeu que o nível da água passou das rodas do carro, é hora de abandonar o veículo e se abrigar num local mais apropriado?, disse ele.

Com esse mesmo nível de água, é importante sair rapidamente da residência soltar os animais e desligar a energia elétrica para evitar curtos-circuitos. É importante ainda não enfrentar a correnteza e nunca tentar atravesse a nado uma área alagada e procurar um local alto. ?É fundamental esperar com calma a equipe de socorro chegar para realizar o resgate?, afirma.

RAIOS ? Com temperaturas altas, os temporais com raios e trovões são mais frequentes. A orientação é evitar coberturas metálicas e, em hipótese alguma, se refugiar embaixo de árvores. A mesma orientação vale para fortes ventos. A queda da árvore ou de um galho pode ferir gravemente uma pessoa.

CAVAS

As altas temperaturas registradas nesta época reforçam a preocupação em relação às cavas de areia de Curitiba e Região Metropolitana. A cada ano muitas crianças e jovens morrem por nadar nesses locais que são perigosas para banho, além da água ser poluída.

O terreno no fundo das cavas é irregular, com profundidade que varia abruptamente e com vegetação abundante que podem prender o banhista sob a água. O solo lodoso dificulta a movimentação e também pode impedir que a pessoa volte à superfície ou alcance local mais raso.

PRAIAS

Existem no litoral e nos lagos paranaenses mais de 100 postos do Corpo de Bombeiro. A orientação é que os banhistas procurem entrar na água em locais vigiados pelos salvas-vidas, das 8h às 20h. ?A partir desse horário é muito perigoso, pois o banhista não esta sendo assistido. Estatísticas mostram que os maiores acidentes ocorrem à noite, por isso, nade sempre perto de um posto dos bombeiros?, explicou Barros. ?É importante lembrar ainda que bandeira vermelha sinaliza que o mar está perigoso para banho?.

OUTRAS ORIENTAÇÕES

A Defesa Civil orienta que o veranista evite ingestão de alimentos pesados pouco tempo antes de entrar na água. Além disso, se consumir bebida alcoólica não deve entrar na água pois os reflexos estarão comprometidos.

Há riscos de mergulhar de cabeça onde não se tem o conhecimento completo do local. De acordo com Barros, esse é um acidente muito comum que gera sequelas resto da vida, com lesão na coluna cervical.

Ele pediu cuidado dos pais para cercar as piscinas e evitar deixar brinquedos na água. ?Isso atrai as crianças e pode acontecer um desastre. Piscina segura é piscina fechada, sem brinquedos e supervisionada?, disse Barros. Se for pescar ou andar de barco em represas e rios do Paraná, é imprescindível o uso de colete salva-vidas.

Fonte: CBN FOZ

Brava Segurança

www.bravaseguranca.com.br

Brava 800x600


Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado


Responsive image
Responsive image