Wikipedia Músico estaria resistindo a fazer exames

RIO – A Justiça autorizou nesta terça-feira, 3, o arrombamento do apartamento onde mora o cantor João Gilberto, no Leblon, zona sul do Rio. O pedido havia sido feito por sua filha Bebel Gilberto. O juiz da 5ª Vara de Órfãos e Sucessões, Renato Lima Charnaux Sertã, determinou que sejam tomadas “todas as cautelas necessárias para o cumprimento da medida, que visa sobretudo salvaguardar a saúde do cantor”, segundo informou o Tribunal de Justiça do Estado.

É possível que João seja internado nos próximos dias. Segundo sua ex-mulher Miúcha, mãe de Bebel, seria uma forma de ele ser submetido a exames, os quais se recusa a fazer: “Espero que não seja internado. A situação é difícil, ele é muito fechado, tem 86 anos e algumas questões de saúde. Está muito magrinho. A Bebelestá tentando de tudo por ele. Todos queremos que o João se trate. Ele foge de médico como o diabo da cruz. Se a gente marcar, ele desmarca trinta vezes.”

Miúcha contou que conversou com o cantor nesta terça-feira, e que ele estava bem, e tranquilo. Durante o telefonema, o cantor estava acompanhado de seu amigo Otávio Terceiro, que já foi seu empresário e tem sido uma de suas companhias mais frequentes. João mora sozinho e não é visto fora de casa há muitos anos, nem por vizinhos de seu prédio, na rua Carlos Góis.

Miúcha disse que a situação de João não é tão dramática quanto a descrita nos jornais nas últimas semanas. “Ele está cantando e tocando lindamente. É impressionante, mesmo com a idade”, contou. Há dois anos, fotos de um João mais magro e de pijama, ao lado dela e de Bebel, foram compartilhadas pela filha no Facebook. Seus últimos shows foram em 2008, por ocasião dos 50 anos da bossa nova.

Em novembro passado, João foi interditado judicialmente por Bebel, por conta de problemas financeiros que ele enfrenta. Apoiada em sua decisão pelo irmão João Marcelo, Bebel vive em Nova York e esteve no Rio para resolver o problema. Esta semana, a cantora estará de volta à cidade – faz shows de quarta-feira a sábado.

A curatela do cantor foi pedida porque “João já vem apresentando, há alguns anos, um quadro confusional, que não o permite compreender com clareza e exatidão os atos jurídicos que lhe são solicitados por terceiros, resultando numa situação atual de absoluta penúria financeira, apesar de ser titular de direitos autorais que deveriam lhe garantir mais que sua subsistência por toda a sua vida”, dizia nota oficial divulgada por Bebel por meio de sua advogada, Simone Kamenetz, em novembro. Bebel agiu “para impedir que ele continue sendo induzido a assinar documentos, cujo conteúdo e respectivos compromissos lhe são danosos”, informava ainda a nota.

João está passando por um processo de despejo, e também responde na Justiça a processos por não ter cumprido compromissos de shows fechados por sua ex-companheira, Claudia Faissol, mãe de sua caçula, Luisa, de 13 anos. A família acredita que Claudia o tenha manipulado.

Nesta terça-feira, 3, Simone não respondeu às ligações do Estado. A reportagem também não conseguiu contato com Bebel, com Claudia nem com Otávio Terceiro.

Fonte: Estadão, por Roberta Pennafort


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado

Responsive image