Fátima Leão chamou declaração de infeliz e pediu respeito às mulheres que chegaram primeiro no segmento 

Fátima explicou que o vídeo foi um desabafo
Reprodução/Instagram

Um vídeo de Fátima Leão criticando Paula Fernandes caiu nas redes sociais. Nas imagens, a cantora e compositora rebate o comentário polêmico que Paula deu em uma entrevista — após um show que elas fizeram em Uberlândia, Minas Gerais — se referindo como “mãe do movimento feminino sertanejo”.

Fátima explicou ao R7 que o vídeo é, na verdade, um desabafo por conta da afirmação da cantora, a qual ela julgou infeliz.

— Sempre achei a Paula uma grande artista, tinha muito respeito por ela. Mas acho que uma cantora linda, inteligente e talentosa como ela tem que pensar antes de falar as coisas. Apesar de ela ser uma grande artista, gostaria que ela respeitasse [a história da música sertaneja]. 

A compositora aproveitou para reforçar os nomes de algumas mulheres que surgiram no sertanejo antes de 2010 — ano em que Paula foi lançada.

— Quem é criado no interior, dificilmente não conhece música sertaneja. O sertanejo sempre foi divulgado antes mesmo da internet, nas rádios. A gente tem que aprender a respeitar as pessoas. E não estou falando só de mim, mas de gente que veio muito antes, como Irmãs Galvão, Roberta Miranda, Sula Miranda, Jayne, Irmãs Barbosa… e o sertanejo só começou a aparecer com as mulheres depois que ela [Paula] cantou? Me poupe! Não é porque cheguei há muito tempo que vou atropelar quem tá na frente e quem chegou agora não vai dar ré pra atropelar ninguém. É injusto isso. 

Paula não se manifestou sobre o ocorrido
Reprodução/Instagram

Climão no camarim

Fátima também contou que teve “problemas” com a equipe de Paula Fernandes assim que chegou ao local do show onde elas se apresentaram — um evento promovido pela Paranaíba FM em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. A compositora afirmou que foi impedida pelo segurança de Paula de entrar no camarim que estava reservado para elas e para Paula Mattos. 
 

— Meu produtor explicou que eu ia cantar no evento e precisava ficar no camarim. O segurança olhou pra mim e fechou a cortina. O rapaz da organização tentou contornar da melhor forma possível e pediu para eu ficar lá, dizendo que não ia atrapalhar. Cumprimentei ela [Paula] normalmente, que estava comendo uma ameixa e lá ficou. Eu sentei em uma cadeira em um canto e não saí nem pra pegar uma água. O segurança dela me olhava como se seu fosse uma tiete que fosse encher o saco dela. Em 30 anos de carreira, nunca passei por isso na minha vida. Foi uma humilhação. 

Procurada para comentar o caso, Paula Fernandes evitou a polêmica e reforçou, por meio de sua assessoria, a importância das cantoras sertanejas na construção de sua carreira.

— Tenho profundo respeito, carinho e admiração por todas as mulheres da música. Em especial as do sertanejo. Elas me inspiraram a sonhar e a acreditar que era possível cantar. Me ensinaram, desde criança, a nomear as emoções por meio de melodias. Me sinto honrada de poder cantar e dar voz aos sentimentos de tantas pessoas.

A declaração de Paula Fernandes e o vídeo de Fátima Leão foram exibidos no quadro A Hora da Venenosa, do Balanço Geral SP.

Fonte: R7, por Camila Juliotti


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image