12nov2014---a-sonda-espacial-rosetta-lancou-nesta-quarta-feira-o-modulo-philae-na-ultima-etapa-para-tentar-pousar-no-cometa-67p-churyumov-gerasimenko-1415802263942_615x470.jpg

O robô Philae pousou na superfície do cometa 67P/ Churyumov-Gerasimenko, nesta quarta-feira (12), às 14h03 (horário de Brasília), a aproximadamente 500 milhões de quilômetros de distância da Terra. O pouso foi confirmado pela Agência Espacial Europeia (ESA), em Darmstadt, na Alemanha. Pelo Twitter, a agência anunciou: “Estamos no cometa”. Trata-se de um feito inédito na história da exploração espacial, que permitirá aos cientistas ter mais informações sobre a origem da vida na Terra.

A missão Rosetta lançou ao espaço uma sonda e um robô em 2004. A aeronave percorreu cerca de 6 bilhões de quilômetros para se encontrar com o cometa. O robô Philae é um laboratório miniaturizado que enviará dados para os cientistas da agência espacial em Terra, até o final da missão em dezembro de 2015.

Para comemorar o sucesso na operação, Jean-Jacques Dordain, diretor-geral da Agência Espacial Europeia, afirmou que o trabalho foi “um grande passo para civilização humana e que fará diferença na história da ciência”.

O diretor completou seu discurso agradecendo sua equipe: “O maior problema do sucesso é que ele faz parecer que a missão foi fácil. Porém, sabemos que só com muito trabalho, dedicação e profissionais excelentes de diversos países conseguimos chegar aqui. O sucesso não vem do céu, vem do trabalho duro. Somos os primeiros a fazer isso e ficaremos na história para sempre.”

Após dez anos no espaço, a sonda Rosetta, que custou à agência o equivalente a R$ 4 bilhões, conseguiu “alcançar” o 67P em agosto e iniciou seu voo ao redor do cometa para conferir sua superfície e descobrir o melhor lugar para seu robô Philae pousar. O cometa possui um formato irregular, semelhante ao de um patinho de borracha, que tornou mais difícil a missão dos engenheiros da Agência Espacial Europeia de buscar uma área e escolher a melhor maneira de fixar o robô à superfície irregular e esburacada. Pela estimativa dos cientistas, o cometa orbita em torno do sol a uma velocidade de 135.000 km/hora.

Com tamanho semelhante ao de uma máquina de lavar roupas e pesando 98 quilos, o robô foi programado para pousar em uma área de um quilômetro quadrado, que foi batizada pelos cientistas de Agilkia.

Dotado de um mecanismo de fixação em suas pernas, o robô deveria lançar arpões na superfície do cometa, que o prenderiam ao cometa. De acordo com as informações iniciais no centro de controle e confirmadas pelo Twitter, o mecanismo falhou e consequentemente o robô não está muito estável sobre o cometa. Os cientistas estudam a possibilidade de tentar acionar novamente o sistema de arpões.

A missão Rosetta poderá dar início então à coleta de dados que, há dez anos, só poderia ser sonhada. Dotado de vários mecanismos, o robô coletará amostras do solo, fará análises e enviará fotos do núcleo –à medida que o cometa 67P continuará expelindo poeira e gelo em sua jornada rumo ao Sol.

Essas informações ajudarão os cientistas a concluir se foi o bombardeio de cometas há bilhões de anos que teria trazido água e moléculas orgânicas simples para a Terra, abrindo caminho para a vida em nosso planeta.

Problema no pouso
Durante verificações prévias sobre a saúde do robô, os cientistas descobriram que um sistema de descida, responsável por dar um impulso para evitar um rebote no momento da aterrissagem, não estava funcionando perfeitamente.

No entanto, isso não impediu a aterrissagem, já que o trem de pouso absorveu as forças do desembarque, enquanto parafusos localizados em cada um dos pés do Philae e um sistema de arpões funcionou com sucesso e travou o robô na superfície do cometa.

Celebração
O primeiro sinal enviado por Philae demorou meia hora para viajar pelo espaço e chegar ao centro de controle da operação. Os cientistas gritaram e aplaudiram diante das cãmeras instaladas em Darmstadt, na Alemanha, que transmitiam ao vivo. “Podemos confirmar que o robô pousou”, anunciou minutos após Stephan Ulamec, gerente de pouso no Centro Espacial da Alemanha. “Philae está falando conosco. Philae está no cometa”.

Falando sobre o sucesso da aterrissagem do robô Philae no cometa 67P, o CED da Agência Espacial do Reino Unido, David Parker, afirmou que até agora, esse tipo de operação só seria imaginada em filmes de ficção-científica. “Hollywood é legal, mas Rosetta é melhor”.

O ator norte-americano William Shatner, que interpretou no cinema e na TV o capitão James Kirk, da série de ficção científica “Jornada nas Estrelas”, postou em seu Twitter: “Aterrissagem cofirmada pela equipe @Philae2014, capitão!”


Fonte: UOL Notícias


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image