Na noite desta quinta-feira, 12, o centro histórico da capital sergipana recebeu, mais uma vez, o projeto Quinta Instrumenta, temporada 2018. O evento, que é realizado pela Prefeitura de Aracaju, através da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), aconteceu no teatro João Costa, no Centro Cultural de Aracaju, (antiga Alfândega), localizado no Marco Zero da capital.

A segunda temporada do Quinta, que se consolidou ao longo de 2017, começou com a apresentação do grupo Taco de Golfe. “O Quinta retorna com os meninos deste grupo, que conseguiram estar aqui através de um processo democrático. Pela primeira vez na história da gestão pública de Sergipe, há um projeto que coloca em evidência a música instrumental. Sergipe tem grandes músicos capazes de tocar em qualquer lugar do mundo e fazer bonito onde estiver. Esse projeto contempla de forma democrática os instrumentistas, já que para ser selecionado, eles precisam ter feito a inscrição através do edital. A proposta da Prefeitura de Aracaju é dar vida cultural ao centro histórico da capital sergipana. Na primeira apresentação, podemos afirmar que estamos cumprindo o nosso papel”,  explica o diretor de Arte e Cultura, Nino Karvan.

O grupo Taco de Golfe fez sua estreia no primeiro ciclo do projeto. Além de encantar o público presente, a atração trouxe em seu repertório músicas que passeiam entre o rock e o jazz. “O nosso repertório é inteiramente autoral. Não temos um gênero musical definido. Por isso, mesclamos as músicas entre o rock e o jazz. A nossa musicalidade é na comunicação entre os instrumentos, utilizando diversos timbres, efeitos e ritmos para criar uma atmosfera diferenciada e única sem nos limitarmos por conta do gênero”, afirma o baterista do grupo, Alexandre Damasceno.

No Quinta Instrumental serão, ao todo, sete apresentações que acontecem sempre às quintas-feiras, a partir das 20h.“Fiquei impressionado com tudo. O projeto é lindo e permite que os instrumentistas mostrem sua arte. A Funcaju está de parabéns por criar um evento desse nível e fazer com que as pessoas compareçam para prestigiar mesmo em um dia frio e com chuva. Isso sim é sucesso”, comenta o turista Carlos Silva.

Ainda de acordo com o diretor Nino Karvan, o projeto abre oportunidades para instrumentistas que têm destreza e querem mostrar seus trabalhos. “Aqui é uma vitrine. O instrumentista pode mostrar seu talento e sua paixão pela música. Já que eles não encontram esse acesso ou até mesmo a divulgação do seu trabalho em Sergipe, e com este projeto, ele pode expor até seu trabalho autoral ou algo que envolva suas influências. Além de emocionar a população com sua arte”, diz.

Para a designer gráfica, Bianca Silva, o projeto traz mais uma opção de entretenimento para Aracaju. “Adorei o som do grupo. Foi sensacional, contagia mesmo. Eu gostei muito e estarei aqui durante essa temporada do projeto que é mais uma opção para a gente reunir a galera para prestigiar os músicos”, diz. 

O público presente vibrou com cada música e aplaudiu de pé o som do grupo Taco de Golfe que abriu essa segunda temporada com chave de ouro. “Que apresentação brilhante. Essa é uma oportunidade que com certeza os meninos vão estar em vários festivais. Por isso, para mim, a escolha do grupo para abrir o projeto foi incrível. Todos os envolvidos estão de parabéns e estarei aqui na próxima edição”,  afirma o universitário Alcides Neto.

Projeto Quinta Instrumental

Traduzido pelos próprios artistas como um divisor de águas, o projeto idealizado pela Funcaju, no ano de 2017, recebeu quase 20 artistas em sua última edição. Por lá, passaram Harpa, Guitarra, Violão, Sanfona, Gaita, Bateria, Guitarra Baiana, entre outros instrumentos, dominados por verdadeiros mestres da arte instrumentista.

Com a proposta de dar vida ao centro histórico da capital sergipana, o evento cumpriu muito bem com a sua missão social. Mais de 1,5 mil pessoas passaram pelas apresentações oferecidas no primeiro ano de realização, onde puderam conhecer uma ramificação da música e, ainda, apreciar as atrações do Centro Cultural de Aracaju.

Agenda musical

Na próxima quinta-feira, dia 19, será a vez do grupo A Bandinha se apresentar no palco do teatro João Costa, no Centro Cultural de Aracaju, localizado na praça General Valadão, no Centro da capital, às 20h. Com entrada franca.

Fotos: Edinah Mary

Fonte: Assessoria de Imprensa


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Responsive image
Responsive image