MEDO DE DESPEJO

Antigos feirantes do Mercado Milton Santos, conjunto Augusto Franco, em Aracaju, estão apreensivos quanto à possibilidade de serem impedidos de realizar o respectivo comércio de produtos no estabelecimento inaugurado na manhã de ontem pela Prefeitura de Aracaju. Conforme as exigências do Ministério da Agricultura e das novas regras adotadas pelo poder municipal, através da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), todos os comerciantes devem se adequar a essas mudanças administrativas a fim de permanecer com o direito trabalhista. Apesar da inauguração, o atual momento ainda é de remanejamento e debate entre Emsurb e feirantes.

Para o vendedor de carnes e utensílios para churrasco, Claudionor Gomes dos Santos, é preciso que os vendedores veteranos tenham a garantia de vaga reservada no mercado. Apesar dessa solicitação, ele entende que novas atitudes devem ser adotadas pelos próprios frequentadores com o intuito de atender as reivindicações dos gestores públicos e garantir que o padrão de qualidade apresentado no projeto do novo mercado não seja desrespeitado.

Em conversa com o Jornal do Dia, o comerciante citou ainda a necessidade de imediata conclusão dos diálogos e definitivo início das vendas. “É claro que nós ficamos preocupados com esses boatos, mas ao mesmo tempo é fácil perceber que realmente devemos mudar nossa forma de trabalhar aqui. Essa luta nossa era antiga, e agora que conseguimos passar de um box de madeira para uma mesa de mármore, temos que ter a consciência das novas regras apresentadas pela prefeitura”, afirmou.

Apesar das críticas, o presidente da Emsurb, Júlio César Flores Correia, confirmou a existência das novas regras e não desmentiu a real possibilidade de alguns comerciantes serem temporariamente suspensos de realizar as respectivas vendas no centro comercial do Conjunto Augusto Franco.

Segundo a direção do órgão municipal responsável pela administração do mercado, todas as necessárias orientações estão sendo apresentadas aos vendedores antes que os espaços sejam definitivamente repassados. “É boato a história que estamos impedindo os feirantes de trabalhar. A verdade é que estes profissionais deixaram de atuar em feira livre e passarão a comercializar uma imensidade de alimentos em um mercado público. Essas normas servem para manter a excelência do espaço e do conforto de todos os consumidores”, disse.
“Os comerciantes que ocuparão os boxes serão selecionados e treinados para que haja o manejo adequado dos produtos, já que é extremamente importante para a saúde da população. Existem feirantes que são itinerantes e preferem ficar nas feiras livres trabalhando cada dia da semana em um bairro diferente. Os que vierem para o Mercado Vereador Milton Santos devem ser aqueles que ficarão permanentemente no local, já que ele funcionará todos os dias”, anunciou o prefeito João Alves Filho.

Já de acordo com a Assessoria de Comunicação da Emsurb, todos os vendedores que desejarem tirar dúvidas podem buscar auxílio junto a empresa estatal. “Cada feirante ficará responsável pelo box em que trabalha. Não existe essa meta de inibir que os vendedores que trabalharam há anos no estabelecimento sejam impossibilitados de retornar aos seus antigos postos, apenas as novas regras estão sendo aplicadas a fim da satisfação de todos”, informou Gabriela Barbosa.

Por Milton Júnior (Aracajufest)


Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado


Responsive image
Responsive image