Evento acontece em 22 de julho em São Paulo e terá cantoras como principais artistas do line up, além de Claudia Leitte e Henrique e Diego

A primeira edição do Maior Baile do Mundo acontece no 22 de julho em São Paulo e tem revisão de receber 35 mil pessoas na Arena Anhembi, na zona norte da capital. O evento inaugura o primeiro projeto desse porte na música pop brasileira atual que não tenha como carro chefe o sertanejo ou um grande escritório do segmento na produção.

A ideia do organizador do evento foi exatamente ir para um lado mais voltado ao pop, funk e outros estilos conectados à urbanidade brasileira.

Segundo Guto Rocha, essa proposta tem como meta atender o perfil de público que prefere Anitta, Ludmilla e Claudia Leitte (três nomes já confirmados na escalação do festival).

Além disso, O Maior Baile do Mundo quer ser uma espécie de festa temática encabeçada por Anitta, assim como o Garota Vip e Garota White tem Weseley Safadão como principal atração. Propostas para realização fora de São Paulo já aconteceram. Basta Anitta concordar em ser a estrela do projeto em outras datas.

De acordo com Guto, a presença dela faz toda a diferença. Além de atrair público, facilita na contratação de artistas e até no fechamento de patrocínios.

— Até mesmo marcas parceiras da artista ficam interessadas em apoiar o evento. É exatamente como em outros festivais musicais. Os nomes fortes dão visibilidade e ajudam na realização. Isso é uma questão comercial que precisa ser levada em conta quando se investe tempo e dinheiro numa ideia como essa.

Ao todo, O Maior Baile do Mundo levou mais de um semestre para ser elaborado, divulgado e realizado. E as redes sociais foram as grandes aliadas. Em especial o Facebook. Guto comenta que a plataforma foi como um termômetro para que o nome do festival fosse conhecido antes mesmo de acontecer. Com uma base de dados com 10 milhões de perfis, ele conseguiu fazer com que 130 mil pessoas dessem like e mostrassem estar interessadas em participar do evento. O número supera em mais de 4 vezes a quantidade de ingressos à venda.

— Hoje é possível usar bancos de dados e testes nas redes para ver se um projeto dará certo ou não antes mesmo da realização. E as redes sociais ainda são o melhor espaço para isso. Mas não adianta nada pensar nesse planejamento sem levar em conta a data de realização. Ainda mais em São Paulo. Encavalar dois grandes festivais tem tudo para fazer que pelo menos um deles fracasse em atrair público.

Além de Anitta, Ludmilla e Claudia Leitte, Dani Russo, Livinho, Kevinho, Zeeba, Henrique e Diego e MC Lan estão confirmados. Para Guto, a presença de um sertanejo nao descaracteriza a ideia, que continua sendo majoritariamente pop.

— Os festivais sertanejos também abrem espaço para outros estilos. Mas é sempre a parcela menor. E o nosso caso é o contrário. Não é uma questão de discriminação com o gênero, que hoje tem bastante ouvintes entre fãs de pop e funk. É mais uma questão conceitual mesmo.

Fonte: R7, por Helder Maldonado


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado

Responsive image