Quadrilhas, comidas típicas, fogueira e muito forró animam as noites do mês de junho, aguardado pela maioria dos aracajuanos. Para compor ainda mais os festejos, a procura por trajes juninos aumenta neste período, aquecendo a economia e melhorando a renda dos comerciantes.

Quem passa pelo mercado Thales Ferraz, encontra a loja de Alceu Lins, que comercializa roupas juninas há 16 anos. Por causa da edição do Forró Caju deste ano, as vendas aumentaram em seu estabelecimento. “Em relação ao ano passado, houve um aumento de 10% nas vendas. A volta do Forró Caju tem atraído muitos turistas e vendemos mais para eles do que para o público local, eles levam de cinco a dez vestidos, porque onde eles moram não tem essa tradição”, contou. Segundo ele, 90% das roupas juninas comercializadas no centro da capital vêm de fabricantes de Tobias Barreto.

A promotora de vendas Patrícia Nunes, levou sua filha Giovanna para escolher o seu vestido. “Nós compramos o vestido para ela participar da confraternização no colégio e para usar nas festas juninas. Não foi difícil encontrar, vim para cá porque aqui tem muita variedade e os preços me agradaram”, disse.

Há 40 anos, Bernadete Santos fabrica e vende suas próprias roupas juninas no mercado Maria Virgínia Leite Franco (antigo  Albano Franco). Para ela, o São João é a época que mais vende. “Neste mês as vendas cresceram 70%, a procura começou em abril. As mães são as que mais compram por causa das festas juninas dos filhos nas escolas, mas tem gente que leva para as festas do condomínio ou para vestir na noite de São João”, relatou.

Para quem tem festa marcada na agenda, como a servidora pública Cristiane Nunes, o melhor lugar para fazer compras são nos mercados centrais. “Vou para uma festa caipira no meu condomínio e quero ir caracterizada. Nessa época eu sempre venho nos mercados para comprar vestidos, saias, camisas e calças para toda a família ficar a caráter, é tanta variedade que fica difícil escolher a mais bonita”, disse entusiasmada.

De acordo com os outros vendedores, as peças mais procuradas são as femininas. Além da grande procura por vestidos, acessórios como tiaras, laços, chapéus, anáguas, jaleco e a famosa ‘priquitinha’ embelezam ainda mais as roupas de São João. Para encontrar todos esses produtos, os dois mercados centrais funcionam de 7h às 18h, de segunda a sexta-feira, e de 7h às 13h aos sábados.

Fonte: Prefeitura de Aracaju


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado

Responsive image