Foto de divulgação Maite Perroni fala sobre reencontro do RBD

Renegas as origens? Maite Perroni passa longe daqueles artistas que têm vergonha de seus primeiros passos na carreira. Prova disso são as declarações da morena ao El Heraldo, no México, em que ratifica seu orgulho de ter sido revelada no grupo que marcou geração na década de 2000.

“Nunca na minha vida teria raiva de que me relacionem com o RBD, que foi um movimento super importante falando dessa geração, e acredito que tenha sido uma das melhores experiências que já vivi, então não me incomoda”, disse a intérprete de Loca, fazendo uma ressalva:.

“Esse momento já terminou, já se passaram dez anos e neste momento há outras histórias que quero contar”.

Na conversa, a artista rechaçou ainda qualquer possibilidade de reencontro e revelou que nunca houve planos neste sentindo. Antes, a mexicana havia se mostrado aberta às comemorações de uma década do fim da banda, desde que todos os colegas topassem o projeto.

“Não nego de onde venho. E que bom que foi do RBD. (…) A verdade sempre ficou entre muitos rumores e comentários, mas entre nós nunca houve planos. Tampouco existe a possibilidade de fazê-lo porque estamos todos em coisas distintas, em etapas da vida muito diferentes, então acredito que é difícil coincidir neste momento em um reencontro. Não é uma realidade”, contou Maite.

“Foi minha culpa”, disse Alfonso Herrera sobre o fim do grupo

Já se vão 10 anos desde o fim do RBD e os fãs do sexteto nunca tiveram uma resposta clara: afinal, porque o grupo acabou? Bem, não tinham até agora. Uma década após o fim do RBD, Alfonso Herrera confessou em uma entrevista que o “culpado” foi ele. Nada de Anahi, Dulce Maria, Maite Perroni, Christopher Uckermann ou Christian Chávez.

A declaração bombástica foi dada ao canal no Youtube En La Luna Con Jesús Guzmán.

“O contrato (do grupo) acabava em 2008. Então nós tínhamos que decidir se continuaríamos ou não. Eu queria fazer outras coisas, queria atuar, que é do que eu gosto. Quando expus meu ponto diante dos executivos da Televisa, do (produtor) Pedro Damián e dos meus colegas de grupo, foi tipo: ‘cri cri’”, contou Poncho. “Porque o projeto não é mexicano: era comprado da Argentina. Se fosse continuar, teriam que comprar os direitos de novo com os argentinos. E eu decidi que: ‘não, obrigado’.”

Alfonso Herrera ainda revelou nunca houve a chance de o RBD continuar como um quinteto.

“Nós tínhamos esse acordo: se um saísse, o grupo acabava, e isso foi respeitado, felizmente. Christopher também queria fazer outro tipo de coisas, Maite já estava fazendo novela enquanto nós estávamos em turnê, então cada um estava começando a fazer suas coisas”, entregou.

Defina climão, hein?

Fonte: LatinPop Brasil


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado

Responsive image