CAPRICHO Harry Styles durante show em São Paulo, em maio de 2018

Harry Stylesjá tinha mostrado que veio ao Brasil pronto para emocionar a galera durante seu show Rio de Janeiro e, nesta terça-feira (29), foi a vez dele (re)conquistar o coração de São Paulo com sua primeira turnê solo. E que turnê, viu?

Embora a gente amasse vê-lo ao lado de LouisLiamNiall eZayn noOne Direction, não tem como negar que ele manda muito, mas muito bem no palco sozinho. Harry canta, toca violão, dança, rebola, faz piadinhas e ainda interage com a galera o tempo todo. É perfeição que fala? Rs.

O britânico surgiu no Espaço das Américas ao som de Only Angel com uma camisa prateada com babados nas mangas e um colete preto. Aquele tipo de look que fica incrível só nele, sabe? Assim que começou a cantar, ele já avistou a placa de uma fã contando que era seu aniversário e desejou “happy birthday” a ela. Fofo, né?

CAPRICHO Harry Styles se mostrou um artista completíssimo em show em SP

E esse carinho com plateia seguiu por toda a apresentação. “Boa noite, São Paulo! Que saudade. Tudo bem? Beleza?”, foram as primeiras palavras dele, em português mesmo. E seu professor brasileiro era dos bons, porque ao longo do show rolaram ainda frases como “eu amo muito vocês”, “obrigado” e até um “saúde”! Haha.

Em meio a músicas como Two Ghosts e Carolina, Harry mostrou que o palco é a sua verdadeira casa. Dava para ver no rosto dele que ele estava curtindo o momento, se divertindo junto com o público. Além, claro, de provar ser um músico completo: ele consegue transmitir uma paz em músicas calminhas, como Ever Since New York, e segundos depois faz todo mundo pular e berrar ao som mais rockzinho de faixas como Medicine.

CAPRICHO Quando ele cantou If I Could Fly, do One Direction, foi um dos momentos mais emocionantes da noite

Os fãs, claro, também merecem seu mérito. Eles sabiam – e cantavam muito alto – as letras de todas as músicas, até mesmo dos covers como Just a Little Bit of Your Heart, faixa que Harry compôs para Ariana Grande, e The Chain, do Fleetwood Mac. Um fã-clube organizou ainda algumas surpresas para o cantor e distribuiu ao público, ainda do lado de fora da casa de shows, objetos como rosas que foram levantadas em Woman e pedaços de papéis celofane coloridos que transformaram o local num verdadeiro arco-íris quando a plateia acendeu a luz de seus celulares em Sign of the Times, um dos momentos mais emocionantes da noite.

Outra hora bastante especial foi quando, ao som de Meet Me in the Hallway, ele atravessou o público e apareceu num palco menor, no meio da pista. De lá, ele cantou a fofa Sweet Creature e a linda If I Could Fly, do One Direction, em versões acústicas. Nem precisa dizer que muita gente derramou lágrimas nessa hora, né?

CAPRICHO Obrigada por todo o carinho, Harry!

Harry é tão bom que não renega seu passado, não. Além desta, há ainda outras duas músicas do 1D em sua setlist: Stockholm Syndrome (que ele parou no meio para se certificar de que uma pessoa no meio da pista estava bem) e o superhit What Makes You Beautiful, que ganhou uma pegada mais rock’n’roll. Em suas conversas com a plateia, o cantor também fez questão de relembrar quando esteve com o grupo no Brasil, em 2014. “Faz quatro anos que estive em São Paulo. É muito bom estar no Brasil, sempre foi um dos meus lugares preferidos no mundo. Obrigada por virem ao show. Vocês mudaram a minha vida”, disse em determinado momento. Tem como aguentar, gente?!

O show chegou ao fim rápido demais com Kiwi, que colocou o clima lá no alto, fazendo a galera pular, Harry dançar e deixando a gente com gostinho de quero mais. Nada de voltar só daqui quatro anos, hein, Hazza?

Fonte: Capricho


Responsive image

Responsive image

Responsive image

Nada foi encontrado

Responsive image